Extremadura, a joia (ainda) escondida da Espanha

Igreja de San Martin, em Trujillo, na Extremadura

A Igreja de San Martin, na Plaza Mayor, em Trujillo. Fotos: Tereza Cidade

Entre Madri e a fronteira com Portugal fica uma região pouco conhecida da Espanha, mas que começa a atrair os olhares dos viajantes mais experimentados. E com razão: a Extremadura surpreende com suas cidades perdidas no tempo, castelos medievais e ruínas romanas.

A região mantém seu ar provinciano, a siesta é quase uma religião e não há aquela horda de turistas tão comum nos locais mais visitados da Espanha. Além disso, é berço de grandes conquistadores do Novo Mundo, como Francisco Pizarro, que conquistou o Peru, e Francisco Orellana, o descobridor do rio Amazonas. No inverno, as cegonhas fazem seus ninhos em torres e chaminés das casas.

As estradas que cruzam a região são tranquilas e bem sinalizadas. Em Cáceres e Trujillo, cercadas por muralhas, a viagem ao passado é imediata. Com suas construções de pedras e ruas de paralelepípedos, as duas cidades são Patrimônio da Humanidade pela Unesco e têm um charme romântico e calmo.

Em Mérida, o mergulho é no passado romano, que se impõe nas ruínas espalhadas pela cidade. Em Badajoz, a influência moura é predominante e em Guadalupe, um belo mosteiro cultua a santa do mesmo nome.

Para os mais aventureiros, a região tem o Parque Natural de Monfragüe, ideal para trekking e para a observação de aves. O Monastério da Ordem de São Jerônimo, em Yuste, é outra atração. Aí o imperador Carlos V se retirou da vida pública para morrer dois anos depois.

Estradas impecáveis na Extremadura.

Lua e vista do Castelo de Trujillo ao fundo.

A bela cidade histórica de Trujillo, na Extremadura

O emaranhado de vielas da cidade histórica de Trujillo.

 

Cáceres, na Extremadura: Igreja de San Francisco

Igreja de San Francisco, em Cáceres

Torre de Bujaco, no centro histórico de Cáceres.

 

Gastronomia

Como é característico na Espanha, a região também tem sabor próprio na gastronomia. E a torta del Casar é o orgulho dos extremenhos. Não, nada a ver com bolo de casamento. É um queijo feito com leite de ovelha não pasteurizado, originário do povoado Casar de Cáceres. Tem uma textura cremosa e sabor forte e é muito usado na culinária local.

É aqui também o local ideal para experimentar o já conceituado jámon ibérico bellota, considerado o melhor do mundo. Esse presunto ganha um sabor peculiar graças a bellota, um fruto do azinheiro e do sobreiro, espécie de castanha muito parecida com a avelã. A Bellota é o principal e, na maioria das vezes, único ingrediente da alimentação dos porcos durante a fase dos animais ao ar livre. A região detém 80% de toda a produção de jámon ibérico de bellota do país.

Torta del Casar, o queijo típico da região.

Presunto ibérico Bellota.

Mosteiro de Guadalupe

Roteiro

A Extremadura é uma boa opção para uma viagem de carro entre Portugal-Espanha. Nossa indicação de roteiro incluiu as cidades de Cáceres, Trujillo, Guadalupe, Mérida e Badajoz. Mas há muitas outras, como Plasência, Hervás, Olivenza e Jerez de los Cabalerros.

Não há nenhum tipo de fiscalização ao cruzar a fronteira, só placas avisam que você já está em outro país. Na hora da locação do veículo verifique se não há restrição em levar o carro para o país vizinho e veja as condições do seguro. Para consultar percurso e tempo de viagem acesse o site Via Michelin.

Tem linha ferroviária ligando Madri a Cáceres, Mérida e Badajoz.

Ponte romana sobre o rio Guadiana, em Mérida

Templo romano de Diana, em Mérida, na Extremadura

Outra atração de Mérida: o templo romano de Diana.

 

Onde ficar

Há bons hotéis pela região. A rede Paradores, que oferece hospedagem em lugares históricos, está presente em várias cidades.

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *