21/09/2021

Roteiro pelo Piemonte: entre vinhos e trufas na Itália

Entre vinhos e trufas, um roteiro para conhecer as belezas do Piemonte, na Itália

O Piemonte é uma das belas regiões da Itália, famosa pelos vinhos e trufas. Fotos: Amazonas e Mais

A frase ‘deixa a vida me levar’, consagrada na canção com o mesmo nome de Zeca Pagodinho, se aplica perfeitamente ao Piemonte, na Itália. A região localizada na fronteira com a França e Suíça, entre os Alpes e a Ligúria, é ideal para levar a vida sem preocupações, sem pressa, num ritmo mais lento e gostoso.

O barato do Piemonte é que não há nenhuma atração imperdível, nenhuma cidade que não pode deixar de ser visitada, nenhuma rota obrigatória. Você pode zanzar pelas estradinhas sinuosas sem mapa na mão, parando nos mirantes para apreciar a paisagem. A região é tão linda que dá vontade de sentar na beira da estrada e ficar olhando o sol que se estende sobre os vinhedos ou a névoa que cobre as colinas ao amanhecer.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Booking.com

Com exceção da capital Turim, o turismo aqui é rural. O Piemonte disputa com a Toscana a primazia na produção dos melhores vinhos italianos e também de melhor destino para o turismo rural. Talvez o pedacinho mais emblemático seja o Langhe, região vitivinícola na província de Cuneo, produtora dos vinhos mais prestigiados. Em junho de 2014, uma parte do Langhe entrou para a lista de patrimônios mundiais da Unesco, por suas paisagens culturais, tradições e vinícolas.

Apesar do ar campestre, onde predominam os montes e vales cobertos por vinhedos, não se deixe enganar: a região tem um quê de sofisticação. É a terra dos Barolos e Barbarescos, dois vinhos famosos da Itália, e da preciosa trufa branca. Essa combinação, é claro, ia resultar em coisa boa. A região é o reduto do slow food, o movimento onde a máxima é experimentar os sabores sem pressa, delicadamente, sem hora pra terminar. Portanto, o que não falta é restaurante bom na área.

De vila em vila

Nas estradas sinuosas é quase impossível não parar nos mirantes que se espalham pelo caminho, revelando as colinas em forma de anfiteatro cobertas por vinhedos.

Os sobrados em tons pastéis e telhados terracota dominam a paisagem nos vilarejos minúsculos que se espalham pela região, como Serravalle, Serralunga d’Alba, La Morra, Barolo e Barbaresco.

Alba já é um pouco maior com seus 30 mil habitantes, mas é das mais atraentes cidades do Piemonte. É famosa por suas trufas brancas, celebrada nos restaurantes da região. As raras, caras e cobiçadas iguarias tem feira internacional e um roteiro de caça às trufas faz parte do itinerário turístico da região. O período das trufas é de outubro a dezembro, portanto, se for para a região nesse período o ideal é fazer reservas em hotéis e restaurantes.

Alba, no Piemonte

A praça principal de Alba. Foto: Amazonas e Mais

Serravale, um dos pequenos vilarejos do Piemonte.

Serravale, um dos pequenos vilarejos do Piemonte. Foto: Amazonas e mais

Os emblemáticos Barolo e Barbaresco

Depois de um processo de renovação vinícola no século XVIII surgiu o Barolo. Só que esse vinho emblemático demandava mais de uma década para ‘arredondar”, o que reduzia consideralvemente os lucros com a produção. Na década de 1980, os chamados Barolo Boyz decidiram reformular o método de produção do vinho para acelerar o processo.

Reza a lenda, que um dos membros do grupo, Elio Altare, foi deserdado pelo pai depois de destruir os tonéis da família com uma serra elétrica. O certo é que essa mudança chamou a atenção de críticos como o americano Robert Parker e o vinho explodiu nos Estados Unidos. Toda essa história é contada no filme ‘Barolo Boys’. 

Os enófilos não dispensam, é claro, conhecer Barolo e Barbaresco.

Barolo tem menos de mil habitantes e é o berço do vinho com o mesmo nome, produzido com DOCG com 100% de uva Nebbiolo (seu nome deriva da palavra Nebbia, em referência à neblina que costuma encobrir seus vinhedos nas primeiras horas do dia). Mesmo pequenina, é bonita, com destaque para o Castello Falletti di Barolo, do século X. Nele fica o Museu do Vinho, onde é possível saber mais sobre os Barolos e fazer degustação. Antes de chegar ao castelo tem o Museo dei cavatappi (museu dos saca-rolhas, com uma coleção enorme de abridores de vinho). Na cidade tem várias vinícolas, com lojinhas para compras. Angelo Gaja é um dos grandes produtores locais e a Marchesi di Barolo é a mais importante e antiga vinícola da região, com 200 anos de história.

Um pouco mais de 20km separam Barolo de Barbaresco, outra cidade também famosa pelo vinho. Também pequenina, é perfeita para se ‘perder’ pelas ruas, visitando lojinhas de vinhos e de outras delícias da região.

Além desses dois tintos famosos, a região também tem outros vinhos especiais como o Nebbiolo D’Alba, os Barbera e os brancos doces e espumantes.

Barolo, no Piemonte, Itália

O Castello Falletti di Barolo, do século X.

Barolo é uma das cidades encantadoras do Piemonte.

Barolo, no Piemonte, Itália

O Museu do Vinho, em Barolo.

Barolo, no Piemonte, Itália

Lojinhas e vinícolas estão entre as atrações de Barolo.

Onde comer

A cozinha é influenciada pela francesa, mas mantém sua originalidade. Proliferam restaurantes que oferecem uma culinária de alto nível. Quase todos oferecem menu degustação, com no mínimo três pratos (entrada + principal + sobremesa).

Em Alba, fica o afamado Piazza Duomo, do chef estrelado Enrico Crippa (três estrelas Michelin). É preciso reservar com antecedência para conseguir uma vaga. Bem mais simpático aos bolsos e muito mais fácil de se conseguir uma mesa é o bistrô La Piola, também do mesmo chef e que fica na praça de Alba.

Em Serravalle tem a simpática Trattoria La Cocinella e, em Barolo, o La Cantinella. Não deixe de experimentar o taglierini (ou tajarin) com trufas.

No Il Boscareto Resort & Spa, em Serralunga D’Alba, há o estrelado La Rei Restaurant, que oferece uma experiência gastronômica indescritível. Via Roddino, 21, em Serralunga D’ Alba.

O Tajarin com trufas. Fotos: Amazonas e mais

Onde ficar

Ficar em um hotel rural é a melhor opção para curtir a região do Langhe. Até porque as distâncias são pequenas entre as cidades.

Entre os bons hotéis está o Relais San Maurizio, um belo hotel cinco estrelas; o Relais Montemarino, um hotel-fazenda de pedra, cercado por pomares e vinhas, com piscina coberta e aquecida; o Tenuta Montemagno, perfeito para momentos românticos; e o Ca’Colomba, uma pousada mais simples, mas cercada por belas paisagens.

Veja mais fotos do Piemonte:

Roteiro pelo Piemonte: entre vinhos e trufas na Itália

Veja o que fazer no Piemonte, Itália

Veja o que fazer no Piemonte, Itália

Roteiro pelo Piemonte, na Itália

 

Leia mais:

Vai viajar?

Reserve seu hotel agora no booking.com. Em alguns casos, a sua reserva pode ser cancelável (Confira as regras) - CLIQUE AQUI

Aluguel de carros no Brasil e no exterior - CLIQUE AQUI

Passagens aéreas e pacotes para sua viagem - CLIQUE AQUI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *