18/10/2019

La bella Toscana: roteiro de carro nota dez, entre girassóis, restaurantes estrelados, arte e vinhos premiados

As casas de pedra da Toscana e a beleza do cenário ao redor. Difícil não se impressionar. Fotos: Tereza Cidade/Marcos Santos.

Atualizada em 1º/06/2018

A Toscana é uma das regiões mais visitadas da Itália e não é à toa. Essa pequena área consegue reunir tudo o que há de melhor da Itália: belas cidades, paisagens deslumbrantes e boa infraestrutura turística. Se não bastasse, ainda é famosa por sua gastronomia e produz os melhores vinhos do país, além de ser o berço do Renascimento.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Booking.com

Embora mantenha ares rurais, a Toscana se revela de uma riqueza arquitetônica surpreendente. Em Florença, ou Firenze para os italianos, há risco de overdose de beleza: a arte está espalhada por todos os lados, na arquitetura dos prédios e monumentos, nas esculturas expostas até nas praças, na riqueza dos acervos de seus museus. Foi lá que nasceu Leonardo Da Vinci, autor do quadro mais famoso do mundo, a Monalisa. Obras, como o David, de Michelângelo, outro florentino, atraem enormes filas e justificam os preços altos das entradas nos museus. É de lá também o autor de “O Príncipe”, Maquiavel.

Apesar de Florença ser a cidade referência da Toscana, a viagem pela região não estará completa se não incluir um giro pelas estradas e visitas aos pequenos vilarejos. É possível conhecê-la de trem (as cidades maiores como Florença, Lucca, Pisa, Arezzo e Siena), mas não há nada melhor do que percorrê-la de carro, cruzando as estradinhas cercadas por ciprestes, vinhedos e olivais. Os campos verdejantes, que se colorem de amarelo quando os girassóis estão no auge da floração, em julho, são inesquecíveis.

Casas de pedra e os ciprestes nas colinas, típica imagem da Toscana.

Casas de pedra e os ciprestes nas colinas, típica imagem da Toscana.

A cidade de Pienza, no Val d'Orcia.

A cidade de Pienza, no Val d’Orcia.

São tantas cidades na região que fica difícil escolher um roteiro. As mais conhecidas são Florença, Siena, San Gimignano, Pisa, Arezzo, Lucca e Cortona. Mas há vilarejos encantadores pelo caminho, como Montepulciano, Pienza, Monterrigione e Montalcino. A verdade é: não importa para que lado você for, sempre haverá belas surpresas pelo caminho.

Se você for se deslocar de trem e ônibus, uma boa base é Florença. Se estiver de carro, você pode mergulhar na verdadeira alma toscana e ficar em um dos pequenos vilarejos da região, em hotéis charmosos ou até mesmo alugar casas para temporada. Outra boa base, para quem gosta de ficar em cidades com maior infraestrutura, é Siena, principalmente se você quiser conhecer a parte Sul da Toscana. A região do Val d’Orcia, ou Vale do rio Orcia, também próxima a Siena, é outra área imperdível, com várias cidades interessantes como Montepulciano e Pienza.

Na Toscana, não deixe de valorizar a enogastronomia, afinal, você está em um dos melhores lugares para unir pratos saborosos a vinhos de alta qualidade.

Como montar seu roteiro

É uma tarefa difícil, já que a Toscana é formada por várias cidades encantadoras, cada uma com suas peculiaridades. Com exceção de Florença – que precisa de pelo menos uns três dias se você quiser conhecê-la com calma, incluindo seus museus -, é possível visitar mais de uma cidadezinha por dia.

Planeje seu roteiro evitando fazer longas distâncias por dia, já que você vai precisar de tempo para visitar as cidades e as estradas têm velocidade limitada.

Uma opção é ir de trem para Florença e alugar um carro lá. Depois de visitar as cidades da Toscana, você deixa o carro em Florença, fica alguns dias na cidade e depois pode seguir viagem para outros destinos, como Milão e Veneza, de trem.

Saindo cedo de Roma, você pode visitar Montepulciano, na região de Val D’Orcia, e seguir para Pienza, para pernoite. No dia seguinte, você conhece outras cidades próximas e depois segue para Siena, onde ficaria uns dois dias. Depois é seguir viagem para Florença, de onde é possível ir de trem para várias cidades.

Clique aqui para ver horários de trem.

Com tantas cidades próximas uma das outras, difícil é escolher qual visitar.

Com tantas cidades próximas uma das outras, difícil é escolher qual visitar. 

Montechielo, pequena cidade próxima de Pienza.

Montechielo, pequena cidade típica da Toscana, próxima de Pienza.

A Toscana é a área rural da Itália, só que com muito charme.

A Toscana é a área rural da Itália, só que com muito charme.

 

Panorâmica do Val D'Orcia, das muralhas de Pienza.

Panorâmica do Val D’Orcia, das muralhas de Pienza.

Quando ir

O ideal é ir de abril a outubro. No inverno, entre dezembro e março, neva na região e muitos hotéis e restaurantes fecham. Se você quiser ver os campos de girassóis no auge vá em julho, em pleno verão. Duas estradas cênicas são a SR2, que liga Montalcino a Siena, e a SS71, de Arezzo a Cortona.

A alta temporada é entre julho e setembro e nesse período tudo fica lotado, por isso reserve hotéis com antecedência. No final da estação é feita a colheita das uvas.

De abril a junho, na primavera, e no outono, de setembro a novembro, as temperaturas são mais amenas.

Paisagem que parece pintura das estradas toscanas.

Nas estradas toscanas, a paisagem parece pintura.

A cada curva, um visual mais encantador.

A cada curva, um visual mais encantador.

Os ciprestres, planta típica da região.

A beleza dos ciprestes, típicos da região.

Campos verdes a perder de vista.

Campos verdes, com o amarelo dos girassóis dando um colorido especial.

O auge da floração dos girassóis é em julho.

O auge da floração dos girassóis é em julho.

Como chegar

Manaus não tem voos diretos para Lisboa. É preciso fazer conexão para cidades italianas como Roma, Florença, Milão e Veneza. Se você chegar por Roma, uma boa opção é marcar o retorno por Florença ou Milão.

De Roma, Milão ou Veneza, você pode pegar um trem para Florença e lá alugar um veículo para se embrenhar pelas estradas toscanas.

Florença, Lucca, Pisa, Arezzo e Siena podem ser conhecidas de trem.

 

Onde ficar

Um dos locais mais caros para hospedagem na Toscana é em Florença. Nos pequenos vilarejos os preços são mais em conta, mas para quem gosta de agito à noite eles não são os mais indicados. Para escolher e reservar hotéis, boas opções são os sites booking.com e hoteis.com. Não esqueça de prestar atenção na localização do hotel e na avaliação dos hóspedes, uma garantia a mais de que você não fará uma escolha errada.

Castelo Banfi, vínícola famosa por seus brunellos.

Castelo Banfi, vínícola famosa pelos vinhos brunellos. Foto: Divulgação

Podere Felceto tem a proposta de oferecer uma casa na toscana. Foto: Divulgação

Podere Felceto tem a proposta de oferecer uma casa na toscana. Foto: Divulgação

Alguns hotéis oferecem a oportunidade de fazer cursos de gastronomia, esse é o caso da Podere Felceto, que também te dá a sensação de estar morando em uma casa toscana. Quem quiser ficar hospedado em vinícolas o Castello Banfi, famoso pelos vinhos brunellos, produzidos 100% com a uva sangiovese, é a dica.

Para alugar casas para temporada, consulte:

https://www.tuscanylovers.com

http://www.aluguetemporada.com.br/search/italia/toscana/regiao:308/page:2

http://pt.yourtuscanvilla.com

 

Os vinhos

Na Toscana, não deixe de experimentar os vinhos famosos da região. Em Montalcino não dispense os brunellos, vinhos que levam o nome da cidade, ideais para acompanhar o famoso Chingiale (javali) e outras carnes de caça. Nas redondezas, também fica a região de Bolgary, produtora dos supertoscanos como Sassicaia, Sondraia e o caríssimo Masetto, além de outros tantos vinhos tops.

Em Montepulciano, aproveite para experimentar o famoso vinho Nobile di Montepulciano ou o Rosso di Montepulciano, bem mais leve.

Apesar de serem menos complexos, os chiantis, feitos com a uva Valpolicella, também merecem ser saboreados. Chianti Clássico, Chianti e Chianti Riserva Superiore são as divisões de qualidade do vinho, que já foi muito falsificado e hoje luta para recuperar o prestígio. Uma rota rodoviária cênica que explora a região produtora dos chiantis é a La Chiantigiana, que liga Florença a Siena e passa por belas cidadezinhas, como Greve in Chianti e Castelina in Chianti.

Na Toscana são produzidos os melhores vinhos da Itália.

Na Toscana são produzidos os melhores vinhos da Itália.

 

Onde comer

A gastronomia é outro ponto forte da Toscana, não faltando bons restaurantes. Mas se você quer algumas sugestões, aqui vão elas:

Poggio Antico: Você pode fazer tour pela vinícola, degustação de vinhos e terminar com uma bela refeição no seu restaurante.

Castello Banfi il Borgo: fica a aproximadamente 20km de Montalcino.

Trattoria Il Pozzo: Piazza del pozzo, 2, Sant’Angelo in Colle, Montalcino.

bruschetta

A alta gastronomia é outra marca da Toscana

Vai viajar?

Reserve seu hotel agora no booking.com. Em alguns casos, a sua reserva pode ser cancelável (Confira as regras) - CLIQUE AQUI

Aluguel de carros no Brasil e no exterior - CLIQUE AQUI

Passagens aéreas e pacotes para sua viagem - CLIQUE AQUI

2 thoughts on “La bella Toscana: roteiro de carro nota dez, entre girassóis, restaurantes estrelados, arte e vinhos premiados”

  1. Raquel Amancio Barbosa disse:

    Parabéns pelo Blog, maravilhoso.

  2. Raquel Amancio Barbosa disse:

    Amei!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *