08/04/2021

Dordonha: impossível não se apaixonar por essa bela região francesa

Dordonha, Sarlat-la-Canéda

Na Dordonha, Sarlat-la-Canéda é a melhor base para conhecer a região. Fotos: Amazonas e mais.

A Dordonha está, com certeza, entre as mais belas regiões da França. Com suas charmosas vilas, paisagens estonteantes, grutas e castelos, é impossível não se apaixonar por ela. Oferece belos exemplos da arquitetura medieval da França e de cavernas e arte pré-históricas. Nesse roteiro, passamos por Sarlat-la-Canéda, La-Roque-Gágeac, Beynac-et-Cazenac e Rocamadour.

Para explorar cada cantinho da Dordonha o melhor é alugar um carro. Só assim você vai conseguir descobrir as vilas cenográficas (mais de 80 filmes foram gravados por lá) e todas as atrações (que são muitas!) da região. Sugerimos pegar um carro no aeroporto de Bordeaux e seguir para Sarlat-la-Canéda, cerca de 2 horas de estrada. Também é possível fazer o percurso de trem Bordeaux-Sarlat, que dura cerca de 3h. O ticket pode ser comprado com antecedência no site da Rail Europe ou SNFC.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Booking.com

Se você quiser explorar bem a região, o ideal é fica no mínimo quatro dias. O melhor período para conhecer a Dordonha é de maio até a primeira quinzena de outubro. Nessa viagem, feita em novembro, as grutas estavam fechadas e os pequenos vilarejos estavam mortinhos, com praticamente todas as lojas e restaurantes sem funcionar (a exceção é Sarlat, que ainda tinha o comércio funcionando).

Dordonha, Sarlat-la-Canéda

A arquitetura medieval de Sarlat-la-Canéda.

Sarlat-la-Canéda

No coração do Périgord Noir, a poucos quilômetros do vale do Dordogne e das aldeias de La Roque-Gageac e Beynac, Sarlat-la-Canéda é a melhor base para conhecer a região. Tem mais infraestrutura hoteleira, bons restaurantes e ótimas lojas para comprar os produtos regionais.

A cidade medieval é linda, bem preservada, e muito visitada pelos turistas. Sarlat se desenvolveu em torno de uma grande abadia beneditina de origem carolíngia e desempenhou um papel proeminente durante a Guerra dos Cem Anos.

A cidade tem a maior densidade de monumentos históricos listados ou registrados no mundo, o que lhe garantiu o reconhecimento como Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco. Também é famosa por seus mercados. Tente programar a viagem incluindo o sábado, quando acontece um grande mercado no centro histórico. Entre a rua République e a avenida Gambetta se espalham os quiosques de objetos de decoração, roupas, acessórios e bugigangas. Em torno da igreja Sainte Marie e da Praça Liberté, funciona o mercado gastronômico. Com vocação rural, a região é grande produtora do polêmico foie gras, trufas negras, cogumelos selvagens, nozes e queijos. Não deixe de experimentar as receitas camponesas que passaram de geração em geração e que garantem hoje a reputação gastronômica da região.

A cidade é facilmente explorada a pé em poucas horas. Suas casas de pedra em tom de mel e ruelas são encantadoras. No centro histórico não faltam muitas lojinhas de vinhos, foie gras, trufas, azeites e outras delícias da região. Não deixe de visitar o mercado que funciona dentro da antiga igreja de Sainte-Marie, na Place de la Liberté, que tem uma porta de metal enorme. A torre da igreja tem elevador panorâmico, que oferece uma bela vista da cidade. No cemitério, a Lanterne des Morts (lanterna dos mortos) é  uma torre cônica construída para celebrar os sermões de São Bernard em Sarlat em 1147. A Chapelle des Pénitents Bleus, em estilo românico, é outra atração da cidade.

Dordonha, Sarlat-la-Canéda

Place du Marché Aux Oies, em Sarlat.

Dica dos mercados:

O mercado de todos os produtos é aos sábados, das 8h30 até 18h. Mercado gastronômico, aos sábados, das 8h30 até 13h. Mercado Coberto, na igreja Sainte Marie – Place de la Liberté, durante o verão: aberto todos os dias, de segunda a domingo inclusive, das 8h30 às 14h, e sexta-feira das 8h30 às 20h. De meados de novembro a meados de abril: todos os dias, exceto quinta-feira, das 8h30 às 13h.

Vilarejos

De Sarlat, em cerca de 10 minutos de carro você chega a La Roque-Gágeac, um vilarejo lindo às margens do rio Dordogne com casas encravadas nas pedras. Dali saem os passeios em barquinhos de fundo chato que imitam os usados antigamente nessa região. O passeio pelo rio demora cerca de 1h. O vilarejo é praticamente uma rua, com lojinhas e restaurantes.

Bem pertinho fica outra cidade medieval lindinha, Beynac-et-Cazenac, também as margens do rio Dordogne. No topo fica o Château de Beynac, uma fortaleza medieval que teve papel significativo na famosa Guerra dos Cem Anos contra os ingleses.

Um pouco mais distante, Bergerac também é outro vilarejo encantador. Fica na região produtora de vinho da Dordonha e tem como figura mais célebre Cyrano de Bergerac, o personagem de uma peça de teatro de Edmond Rostand com o mesmo nome, conhecido por seu nariz enorme. Foi inspirado em uma pessoa real, Savinien de Cyrano de Bergerac, um escritor cuja família possuía terras na região.

Beynac-et-Cazenac na Dordonha

Beynac-et-Cazenac, às margens do rio Dordogne.

Bergerac na Dordonha

Bergerac com a estátua de sua figura mais ilustre, Cyrano de Bergerac.

Rocamadour

Um pouco mais distante de Sarlat (30km) fica Rocamadour, um dos famosos centros de peregrinação da França. Em 1166 foi descoberto um antigo túmulo e sepulcro com um corpo ainda conservado que seria do Santo Amador, eremita do início do cristianismo. A partir dessa descoberta ocorreu uma série de milagres, anunciados pelo sino sobre a Virgem Negra e o Menino, na Chapelle de Notre-Dame. No século XII, peregrinos viajavam por toda a Europa para vir orar no local.

A cidade impressiona por ser construída sobre um canyon, por onde passa o rio Alzou. As casas e a igreja parecem brotar da rocha de calcário. A entrada é pelo portão do Figuier (da Figueira) e há uma única rua, a Couronnerie, com muitas lojinhas. Uma escadaria monumental – são 233 degraus! – leva até o coração de Rocamadour: um átrio onde se aglomeram oito igrejas e capelas. Não deixe de visitar a Chapelle de Notre-Dame, onde fica a Virgem Negra, uma pequena imagem em madeira preta. Depois visite o castelo, um belo mirante para o Parque Natural Regional de Causses de Quercy. Há opção de subir em um funicular.

Rocamadour na Dordonha (Dordogne)

Rocamadour, um dos famosos centros de peregrinação da França e sua impressionante localização.

Outras atrações

Para quem ficar mais tempo na região, há muitas outras atrações: Lascaux, um dos mais famosos sítios pré-históricos com pinturas paleolíticas; a famosa Gouffre (Gruta) de Padirac, que fica a 20km de Rocamadour e abre de abril a outubro; os vilarejos de Perigueux, Saint-Cirq Lapopie, Domme; os Château de Castelnaud e o Château des Milandes, que tem jardins famosos; a Roque Saint-Christophe, um penhasco de 80 metros com terraços e cavernas esculpidas; e a Grotte de Rouffignac, um labirinto de túneis e poços que você explora num passeio de trenzinho elétrico.

Como você pode ver, talvez quatro dias seja pouco para você conhecer todas as belezas da região.

 

Onde ficar:

Ibis Sarlat Centre – É bem localizado, próximo ao centro histórico e restaurantes.

Les Jardins du Porche – Tem boas acomodações, a 10 minutos a pé do centro da cidade medieval.

 

Veja mais fotos da Dordonha:

Fotos: Amazonas e mais

Dordonha, Sarlat-la-Canéda

Dordonha, Sarlat-la-Canéda

 

Leia também:

Vai viajar?

Reserve seu hotel agora no booking.com. Em alguns casos, a sua reserva pode ser cancelável (Confira as regras) - CLIQUE AQUI

Aluguel de carros no Brasil e no exterior - CLIQUE AQUI

Passagens aéreas e pacotes para sua viagem - CLIQUE AQUI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *