07/11/2019

A Ribera del Duero dos recantos, vinhos, gastronomia, clima e hospedagem imperdíveis

A Ribera del Duero é uma das regiões vinícolas mais importantes da Espanha. O rio Duero, que se transforma em Douro do lado português, corta cidades da região produtora de alguns dos melhores vinhos espanhóis, como Vega Sicília Único, o raro Pingus e o conhecido Domínio de Ataulta. Além desses, há Protos, Pesquera de Duero, Arzuaga e Alión, igualmente famosos.

Seu roteiro pode começar por Valladolid, a maior cidade da região, com forte influência árabe. Ela conserva um interessante centro histórico, marcado pela arquitetura renascentista, composta por palácios, casas, igrejas. Destaque para a Catedral e a Plaza Mayor, do século XVI. Na cidade, você também pode visitar a Casa de Cervantes, onde viveu Miguel de Cervantes, autor do clássico da literatura mundial D. Quixote.

Depois de conhecer Valladolid, o ideal é pegar o carro para um roteiro pelas vinícolas e cidades da Ribera. É um dos mais atrativos mergulhos no mundo do vinho e da gastronomia.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Booking.com

Uma parada quase obrigatória é em Penafiel. No alto de uma colina localiza-se o famoso Castillo de Penafiel, que foi declarado Monumento Nacional em 1917. Ele abriga o Museo Provincial del Vino, que oferece informações sobre a produção de vinhos e de como apreciá-lo.

Ao longo da estrada, você vai passando por vinícolas famosas como Pesquera, Matarromera e Arzuaga. Nesta última, vale muita a pena parar para tomar o café da manhã, almoçar ou jantar no restaurante da vinícola, onde há também um hotel 4 estrelas.

A mítica Vega Sicília, que produz um dos vinhos mais badalados e caros da Espanha, não abre para visitação. No máximo, você consegue fazer uma foto na placa em frente aos vinhedos. Vale? Se você gosta de História, sim. Caixas e caixas do “Único”, produzido na casa, ajudaram Winston Churchill a combater Adolph Hitler na II Guerra Mundial. O registro está no bunker onde o líder dos Aliados se abrigou das bombas, em Londres, próximo a 10 Downing Street, a casa do primeiro-ministro britânico. E a foto de Churchill, tradicional, com charuto e um copo de uísque? Como ele disse ao rei, quando foi assumir como premier, indagado sobre como conseguir beber tanto: “Tentando, majestade. Tentando diariamente”.

Os campos da Ribera, cuidadosamente cultivados.

Castelo de Penafiel e a vinícola Protos.

Vista do alto do Castelo de Penafiel. Observe o detalhe do castelo, que parece a proa de um navio.

O Castelo de Penafiel no alto da colina.

Entrada do Castelo de Penafiel.

Vinícola Arzuaga, que produz vinhos famosos.

A cidade de Penafiel vista do alto do castelo.

Parte interna da vinícola Protos,

Penaranda de Duero

Depois de Penafiel é só seguir em frente até a pequena Penaranda de Duero, uma das mais charmosas cidades de Castela. Em um dia de frio, a cidade parece quase deserta, com poucos moradores circulando pelas ruas. É hora de dar uma paradinha e experimentar vinhos e petiscos nos restaurantes da cidade. É aí que se descobre uma das peculiaridades européias, espanholas e, particularmente, da Ribera: a cidade tem um pequeno e simples restaurante, mas devidamente recomendado pelo famoso Guia Michelin. Comida boa? Deliciosa.

No alto de uma colina fica o castelo de Penaranda, que foi construído pelos castelhanos durante a Reconquista, que culminou com a expulsão dos mouros. Do alto tem-se uma bela panorâmica da cidade, com a igreja no centro cercada pelas casas com telhas romanas. Na Praça principal, edifícios emoldurados por madeira e pórticos e pelo Palácio de Avellaneda.

 

Panorâmica da charmosa e bucólica Penaranda de Duero, onde se destaca a Igreja, no centro da cidade.

Praça de Penaranda.

As pequenas ruas com construções de pedra.

Detalhe de uma das casas de Penaranda

Palácio de Avellaneda.

Mais um detalhe das construções.

 

Hospedagem

Aqui é uma região em que vale muito apostar em uma boa hospedagem. Uma experiência singular é o hotel Abadia Retuerta LeDomaine, um antigo monastério do século XII, rodeado de vinhedos.

Funciona como hotel desde março de 2012, sendo concebido para ser uma referência no enoturismo de primeira categoria.

O Refectorio, restaurante do hotel, conta com uma estrela Michelin e está sob direção do chef Marc Segarra, que adota uma cozinha contemporânea, valorizando os produtos da região. O menu-degustação começa em 140 euros, com mais 75 euros pelo acompanhamento dos vinhos.

Se você quiser algo mais em conta, pode aproveitar a Vinoteca, também localizada no hotel, com uma média de 25 euros o prato principal. Nas noites de verão, o hotel também oferece o Jardim do Claustro, excelente para bater papo e degustar um bom vinho.

Situado em pleno coração da Ribera del Duero, o Castilla Termal Monasterio de Valbuena também merece uma atenção especial. Cercado por vinhedos, é o primeiro hotel termal 5 estrelas da região de Castela e Leão.

Está localizado em Valbuena de Duero e ocupa um dos mosteiros cistercienses mais bem conservados da Europa, que data do século XII.

Apesar do ambiente histórico, o hotel oferece todas as comodidades do mundo moderno. Tem spa, piscinas termais, horta ecológica e área para crianças. O restaurante Converso oferece menus a la carte, composto por pratos da cozinha tradicional e moderna, elaborados com os produtos da região.

Instalado em um hotel boutique com o mesmo nome, o Fuente Aceña Restaurante é uma boa opção, com um custo mais baixo que os outros dois. Fica em Quintanilla de Onésimo e o restaurante do hotel também merece uma visita. Oferece menus a la carte que valorizam os produtos regionais.

A Ribera em um dia de neblina, no outono.

Os vinhedos que produzem os potentes vinhos da região.

O mundo do vinho presente em qualquer lugar da região.

Abadia Retuerta é uma excelente opção de hospedagem e gastronomia.

Castilla Termal Monasterio de Valbuena também é uma excelente opção de hospedagem.

As piscinas termais do Castilla Termal Monasterio de Valbuena.

 

Gastronomia

Vir na Ribera e não saborear o lechazo (cordeiro mamão, novinho) assado em forno de lenha é quase um sacrilégio. Ele é feito nos restaurantes identificados como ‘asador oficial’ e fica perfeito acompanhado dos potentes vinhos da região.

Um dos restaurantes mais famosos é o Méson Mauro, em Penafiel. Aproveite também para experimentar os presuntos ibéricos. São dois itens classificados entre os ícones da gastronomia mundial.

O passeio é bonito, a temperatura agradável (muito frio no inverno), o vinho excelente (e barato), a hospedagem de alta categoria e a comida imperdível. Anote a Ribera del Duero no seu caderninho de viagens.

Méson Mauro, em Penafiel.

O lechazo vem acompanhado apenas de salada.

Vai viajar?

Reserve seu hotel agora no booking.com. Em alguns casos, a sua reserva pode ser cancelável (Confira as regras) - CLIQUE AQUI

Aluguel de carros no Brasil e no exterior - CLIQUE AQUI

Passagens aéreas e pacotes para sua viagem - CLIQUE AQUI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *