16/05/2019

O que fazer em Estrasburgo, a charmosa cidade da Alsácia

A beleza da arquitetura de Estrasburgo

Casas em estilo enxaimel, canais e flores, muitas flores. Assim é Estrasburgo. Fotos: Tereza Cidade/Marcos Santos

Com uma localização privilegiada, no meio do caminho entre Paris e Praga, Estrasburgo (ou Strasbourg, em francês) é conhecida como a ‘encruzilhada’ da Europa. Foi por séculos alvo de disputa entre a França e Alemanha, por isso tem a influência dos dois países presente, principalmente, na arquitetura e na gastronomia.

Hoje é sede de organismos internacionais como o Parlamento Europeu, o Conselho Europeu e a Corte Europeia dos Direitos Humanos. Por isso, é considerada a capital da Europa.

Apesar das guerras, Estrasburgo preservou um rico patrimônio histórico que consegue aliar a um lado cosmopolita e moderno. Esse contraste fica bem nítido no passeio de barco pelos canais. Foi a primeira cidade francesa a ser reconhecida Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco, em 1988.

O centro de Estrasburgo é um charme, com seus pitorescos bairros e inúmeros canais. No bairro histórico Petite France, onde moravam os curtidores de couro e artesãos, as casas coloridas em estilo enxaimel compõem um cenário de fantasia. Aqui há vários restaurantes e lojas de artesanato e é o local ideal para experimentar a gastronomia franco-alemã e os famosos vinhos brancos da região, como o Riesling.

Uma das construções mais majestosas da cidade é a Cathédrale Notre Dame, que foi apontada pelo escritor Victor Hugo como o “prodígio do gigantesco e da delicadeza”. Goethe também se impressionou com essa obra prima do trabalho rendilhado em pedra: “ergue-se como a mais sublime árvore de Deus, com amplos e abobadados galhos”, descreveu.

Os dois, é claro, estão cobertos de razão. A igreja é uma maravilha da arte gótica, embora apareça espremidinha entre as vias da cidade. Começou a ser construída no final do século 11 e só foi concluída em 1439. Com o seu pico de 142 metros, ela permaneceu a mais alta da cristandade até o século 19.

No seu interior há o relógio astronômico, com figuras mecânicas que parecem pontualmente às 12h30, acompanhados de um carrilhão. As quatro etapas da vida aparecem a cada 15min desfilando em torno do relógio: a primeira é uma criança, seguida por um adolescente, um homem adulto e, por último, um idoso.

Quem tem bom preparo físico e muita disposição pode encarar os 332 andares até o alto da torre, para ver a cidade de cima.

Bem pertinho da igreja fica a Place de la Cathédrale, onde está a Maison Kammerzell, uma antiga casa de um rico comerciante com elaborados entalhes de madeira do século 15 e 16.

 

O chamoso Petite France, no centro histórico de Estrasburgo.

A Maison Kammerzell foi construída por um rico comerciante.

Estátua de Johann Gutemberg e o clássico carrousel.

Ponts Couverts (pontes cobertas) ligadas às torres de vigias medievais .

O Palais Rohan hoje abriga três museus

A Cathédrale Notre Dame, em Strasbourg

A Cathédrale Notre Dame, considerada o”prodígio do gigantesco e da delicadeza” pelo escritor Victor Hugo.

A Praça da República e seus monumentos majestosos construídos durante o período alemão (1871-1918), como o Palácio do Reno e a Biblioteca Nacional, são outra atração.

Aliás, belas praças a cidade têm de sobra: uma é dedicada ao morador ilustre de Estrasburgo, Johann Gutemberg, o inventor da imprensa, que tem direito à estátua na praça onde fica um clássico carrousel; outra é a praça Kléber, em homenagem ao general francês Jean-Baptiste Kléber, onde fica L’ Aubette, um palácio construído por Aubette Jacques François Blondel, arquiteto do rei, em 1765-1772.

Construção do século XVIII, o Palais Rohan hoje abriga três museus: Musée des Beaux-Arts, Musée Archéologique e Musée de Arts Décoratifs. Foi desenhado pelo arquiteto do rei, Robert de Cotte, e era destinado aos príncipes-bispos da cidade.

Estrasburgo é linda todo o ano, mas em dezembro a cidade se transforma na capital natalina. Desde 1570 é tradição o seu mercado de Natal anual, que surpreende com sua decoração.

 

Passeio de barco em Estrasburgo

O passeio de barco pelos canais é imperdível, permitindo uma ampla visão da cidade com sua arquitetura medieval e a parte moderna. O ponto de embarque é ao lado do Palácio Rohan.

O tour passa pela eclusa do século XVII, a Barage Vauban, que modifica o nível do Rio Reno ao cruzar o Petite France. Durante as excursões observa-se as Ponts Couverts (pontes cobertas) ligadas às torres de vigias medievais.

Também linda é a igreja de St. Paul, que aparece majestosa durante o passeio. Mais adiante, as construções modernas, como o Parlamento Europeu e a Corte Europeia de Direitos Humanos.

 

 

Veja mais fotos de Estrasburgo:

Local de onde saem os passeios de barco.

A beleza da arquitetura das casas.

O relógio astronômico na Catedral Notre Dame.

Sede do Parlamento Europeu.

Eglise de St.Paul

 

Uma casa mais linda que a outra.

O charmoso Petite France, em Estrasburgo

O charmoso Petite France.

 L’ Aubette na Place Kléber. Fotos: Tereza Cidade

L’ Aubette na Place Kléber.

A abundância de flores.

Mais uma bela construção.

Estrasburgo foi palco de muitas guerras, mas hoje encanta a todos com a beleza da cidade.

O Palais Rohan, que abriga três museus.

Mais uma panorâmica de Estrasburgo.

A cidade é cortada por canais.

A fachada da Cathédrale Notre Dame.

 

Gastronomia

Estrasburgo reúne excelentes restaurantes e winstubs (pequenos bar-restaurantes), onde é possível experimentar a típica gastronomia da Alsácia, mistura das influências alemã e francesa. Também são perfeitos para degustar vinhos e cervejas.

As especialidades são o foie gras (patê de fígado de ganso) e o chucrute, mas também não deixe de experimentar o baeckeoffe (mistura de carne bovina, carne de carneiro e porco, marinados em vinho branco e cozidos lentamente com batatas e cebolas); a tarte flambée (pasta fina coberta com queijo munster, bacon, creme e cebola); o Spätzle, uma massa tipo nhoque, gratinada com Munster; o pretzel e kougelhopf (bolo de amêndoas).

Tarte flambée, massa fininha com queijo munster.

A baeckeoffe é uma mistura de carne bovina, carne de carneiro e porco.

O kougelhopf é um bolo de amêndoas que fica perfeito acompanhando um café ou chocolate.

O Spätzle, massa gratinada com queijo Munster.

Como chegar em Estrasburgo

De trem:

TGV europeu do leste: 2h20 de Paris Charles de Gaulle ou Gare de l’Est. Conexões diretas com Paris, Lille, Rennes, Nantes, Bordeaux, Stuttgart e Zurique.

TGV Rhine-Rhône: 3h40 de Lyon, 5h30 de Marselha

 

De avião:

Aeroporto de Paris Charles de Gaulle (2 horas e 20 minutos de TGV direto)

Aeroporto Internacional Strasbourg-Entzheim (10 km de Estrasburgo)

Aeroporto de Karlsruhe / Baden-Baden (58 km de Estrasburgo) Aeroporto Internacional Basel-Mulhouse (130 km de Estrasburgo)

 

Passeio de barco em Estrasburgo

Batorama

Funciona todos os dias, durante o ano todo. Disponível em 11 idiomas: francês, alemão, inglês, italiano, espanhol, russo, holandês, japonês, chinês + 4 versões de idiomas para crianças. Duração: 1h10.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *