22/09/2019

Mercado de Parintins, um recanto de saberes e sabores das ilhas Tupinambarana

Na cheia, o Mercado Municipal de Parintins é banhado pelas águas do rio Amazonas. Fotos: Peta Cid

Texto: Peta Cid

Com visão panorâmica para o Rio Amazonas, o Mercado Municipal Leopoldo Neves, em Parintins,  é símbolo de história, arquitetura, saberes e sabores da gastronomia regional. Mais que um centro de compra e venda de produtos, ele traduz a riqueza da cultura popular dos parintinenses, seus costumes e tradições seculares.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Booking.com

Inaugurado no ano de 1937, o mercado completa 82 anos no dia 27 de maio, data indicada pela prefeitura da cidade para sua reabertura, após o período de reforma.

Cartão postal e ponto de encontro de moradores e turistas, o prédio histórico considerado um dos mais imponentes da cidade, ganhou arquitetura moderna, sem perder os traços tradicionais.

O espaço funcionará de 06h às 22h com venda de alimentos, carnes, peixes, restaurantes, lanchonetes, comércio de artesanatos, frutarias e botecos. A nova proposta é transformar o mercado em ponto turístico das noites parintinenses, com palco para música acústica, voz e violão.

A obra que está em fase de finalização é fruto de emenda parlamentar de R$ 4 milhões do ex-deputado federal Hissa Abrahão que destinou a verba para a revitalização e construção de estacionamento.

“Será uma data histórica para um prédio histórico, uma réplica como o original construído pelo prefeito João Melo. Não tenho dúvida de que será um espaço muito bem frequentado. É um cartão postal de Parintins”, registra o prefeito de Parintins, Bi Garcia.

Mercado de Parintins será reaberto em maio

Inaugurado no ano de 1937, o mercado completa 82 anos no dia 27 de maio, data marcada para sua reabertura.

Mercado de Parintins vai virar point nas noites parintinenses

A reforma preservou a edificação mais antiga, com pavimento inferior e térreo. Foto: Secom/Divulgação

A nova proposta é transformar o mercado em ponto turístico das noites parintinenses. Foto: Secom/Divulgação

 

Saberes e Sabores 

Parintins tem muito mais que a magia e a poesia do Festival Folclórico. A cidade que encanta pela cultura popular oferece aos visitantes uma variedade de sabores da terra, iguarias da culinária amazônica apreciadas especialmente no café regional.

Um programa tradicional dos parintinenses e turistas é se deliciar com os produtos típicos, em especial o pão com tucumã. Na maioria dos cafés do mercado, os permissionários elegeram a fruta regional como a preferida, servida no X-Caboquinho (pão, queijo coalho, tucumã e banana frita), ou ainda na tapioca recheada com tucumã e queijo, combinação deliciosa que faz a diferença para começar o dia bem alimentado experimentando as comidas típicas da Amazônia. A oferta inclui ainda bolinho de crueira, mingau, banana frita, macaxeira, cará, sanduíches de pão com ovos, queijo regional, panquecas, castanha, canjica, pupunha, sucos de frutas como cupuaçu e acerola e outras delícias regionais.

Quem vai ao mercado não deixa de provar o munguzá e o mingau de tapioca do seo João de Souza Teixeira, 78, que há 50 anos ocupa um dos boxes. “Eu sou do tempo das filas que se formavam para comprar ficha e esperar pra receber a carne e o peixe. Era uma gritaria dentro do mercado. Agora tá ficando bonito e organizado, o mercado vai ser um dos mais bonitos do Amazonas”, declara.

Servindo mingau para o cliente Osmar  Prestes, João conta que seu boxe foi batizado de Remanso. “Sabe porque esse nome? Porque Remanso vai arreando barranco e acumulando pau velho”, brinca aos risos, fazendo alusão aos seus mais de 70 anos.

Outra que está há mais dez anos trabalhando no Café Regional do Mercadão, dona Marilza Barbosa também capricha no cardápio junto com a filha Franciane Barbosa. Elas estão trabalhando no píer da praça Cristo Redentor aguardando o novo mercado entrar em funcionamento.

A ansiedade é grande para os demais proprietários dos boxes que estão improvisados em tendas na Praça Eduardo Ribeiro.

 

Ervas, mel e garrafadas 

Entre as ervas naturais usadas no tratamento de doenças,  podem ser encontradas quina-da-mata, aroeira, unha de gato, saracura mirá, além de óleos e banhas naturais.

Para o turista que visita a cidade a dica é conhecer o novo mercado para saborear não só as delícias da culinária, mas também para ter um gostinho da cultura local.

No período do Festival Folclórico, o moderno mercado será o ponto de encontro da população e visitantes.

 

Aguardando a liberação do mercado, Franciane não deixa de vender as delícias do café regional.

O munguzá e o mingau de tapioca do seo João de Souza Teixeira, 78, que há 50 anos ocupa um dos boxes do mercado.

 

Histórico 

Pesquisas organizadas por historiadores da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo do município indicam a ausência de fontes para atestar com exatidão a data de construção do Mercado Público Municipal. O conjunto Mercado e Rampa tem informações controversas sobre sua fundação.

De acordo com os memorialistas, a construção faz parte de um conjunto de edificações públicas datadas aproximadamente do século XIX. Os traços de arquitetura eclética que caracterizam o mercado podem ter sido inseridos em sua estrutura na reforma inaugurada  pelo prefeito superintendente João da Silva Melo, em 1937, ano que possivelmente recebeu a denominação de Leopoldo Amorim Neves, em homenagem ao governador do Estado do Amazonas.

De fundamental importância para vida social e administrativa da cidade, o Mercado de Parintins reúne em sua história curiosidades como os informes públicos que eram fixados em suas portas, daí o nome “portarias”, para dar ciência dos fatos a população.

Conforme o crescimento da população e da cidade, o mercado necessitou reparos e ampliações. Na administração do prefeito Dejard Vieira passou por restauração e sua ampliação acontece em 1973, quando prefeito Benedito Azedo organizou o espaço específico para a venda  de peixe. Ampliou a obra treze metros para dentro do Rio Amazonas. Atualmente o mercado está sendo reconstruído com a finalidade de  revitalizar o espaço para fins comerciais e culturais.

Rampa 

A rampa sempre foi utilizada por embarcações regionais para chegada e saída de Parintins. Serviu também como espaço de comercialização do pescado. Os documentos oficiais que citam a rampa do mercado de Parintins datam de 1876, quando a Assembleia Provincial considerou a necessidade de construção de uma rampa no município de Vila Bela, em função do fluxo de vapores que chegavam ao local. Outra informação, data de 04 de dezembro de 1954, na administração do prefeito Gentil Belém, quando foi aprovada uma lei que autorizava o valor de CR$ 200.000 (duzentos mil cruzeiros) para a construção da rampa municipal e, por fim, em 1971, por ocasião da reforma e ampliação na administração do prefeito Benedito Azedo, o vereador Guilherme Ribeiro propõe melhorias em sua estrutura para servir a comunidade.

O mercado também ganhou área para estacionamento. Foto: Secom/Divulgação

A área ao redor do mercado de Parintins também foi revitalizada.

A área ao redor do mercado de Parintins também foi revitalizada. Foto: Secom/Divulgação

 

Reforma 

O Mercado de Parintins com área de aproximadamente 1.218,96m2  foi  parcialmente demolido e reconstruído na mesma área, preservando a edificação mais antiga, com pavimento inferior e térreo.

O prédio ganha plataforma elevatória vertical, hall, ilha para venda de carnes, praça  de alimentação, boxes para venda de Café da Manhã, varanda coberta com toldo com cobertura vinílica, armarinho, entre outros espaços.

Áreas de ventilação terão vidro fumê  para prevenção de chuva e portas de rolamento elétrico serão colocadas na área que faz frente ao Rio Amazonas. Os permissionários que ocupam tendas provisoriamente na praça Eduardo Ribeiro recebem qualificação com a oferta de cursos em diversas áreas.

 

 

4 thoughts on “Mercado de Parintins, um recanto de saberes e sabores das ilhas Tupinambarana”

  1. Mercado Municipal de Parintins disse:

    Sinto-me honrado por fazer parte dessa história,filho da terra,estudei,trabalhei e fez parte dos trabalhos culturais dessa cidade,muito obrigado Parintins,terra abençoada.

  2. Francisco José Albuquerque Bulcao disse:

    So estão faltando as duas cabeças de boi feita em mármore importada nao sei de onde que ficavam uma de cada lado da porta central do marcado…CADÊ??? O RESTO TA TUDI LINDO DIGNO DE PARINTINS…OBRIGADO MEU AMIGO PREFEITO BI GARCÍA…

  3. Augusto Rubens Pereira da Costa disse:

    Esta muito bonito, estarei juntamente com minha família,recordando bons momentos em que meu pai João Balão foi administrador do Mercado Municipal, eu tomava mingau lá no box do seu João. Obrigado Prefeito Bi, por ter recuperado esse prédio histórico de nossa Cidade.

  4. Olinda Saul disse:

    Parabéns ao prefeito!…Tbm aos filhos dessa ilha abençoada por Deus e N.Sra.do Carmo !
    Tenho mtas saudades de Parintins.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Booking.com