20/07/2019

Mosteiro de Alcobaça, monumento que celebra a religiosidade e o amor eterno

Mosteiro de Alcobaça, patrimônio da Humanidade

O Mosteiro de Alcobaça foi classificado como patrimônio da humanidade pela Unesco em 1989. Fotos: Tereza Cidade/Marcos Santos

Uma construção monumental e o desfecho de uma trágica história de amor. Esses são os ingredientes principais de uma visita a Alcobaça, cidade localizada a 120km de Lisboa (1h40 de carro) e 110 Km de Coimbra (1h15).

O Mosteiro de Alcobaça foi classificado como patrimônio da humanidade pela Unesco em 1989 e é um dos monumentos mais representativos da história de Portugal e da arquitetura Cister. Nele, estão enterrados o rei D. Pedro e sua esposa, Inês de Castro, protagonistas da mais conhecida história de amor de Portugal.

O monumento foi fundado em 1153 pela Ordem de Cister, e, apesar de ser conhecido como Mosteiro de Alcobaça, o nome correto é Real Abadia de Santa Maria. Foi fundado pelo primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques, após a reconquista de Santarém que estava na posse dos mouros.

Na fachada, o pórtico chama a atenção. Ao entrar, a grandiosa nave central, simples e com poucos ornamentos, induz a uma sensação de espiritualidade. No final do corredor, ficam os túmulos de D. Pedro e D. Inês, duas obras-primas da arte medieval, colocados frente a frente para que possam se reencontrar no Dia da Ressurreição.

As dependências medievais estão muito bem preservadas. Não deixe de visitar o refeitório, a cozinha, o dormitório e a Sala dos Reis.

O pórtico do Mosteiro de Alcobaça

O pórtico do Mosteiro de Alcobaça. Fotos: Tereza Cidade/Marcos Santos.

Mosteiro de Alcobaça e a arquitetura Cister

O monumento é representativo da arquitetura Cister.

Mosteiro de Alcobaça, nave central

A grandiosidade da nave central.

Túmulo do rei D. Pedro.

Túmulo de D. Inês de Castro, no Mosteiro de Alcobaça

Túmulo de D. Inês de Castro.

Sala dos Reis no Mosteiro de Alcobaça

Sala dos Reis.

Jardins do Mosteiro de Alcobaça

Vista dos jardins internos do mosteiro

As dependências medievais estão muito bem preservadas.

O Mosteiro de Alcobaça é um dos monumentos mais representativos da história de Portugal.

A cozinha do mosteiro.

O monumento foi fundado em 1153 pela Ordem de Cister.

 

O caso de amor

Inês de Castro era dama de companhia da mulher do infante, D. Constança Manuel. O caso de amor se desenrolou, em parte, nos jardins da Quinta das Lágrimas, em Coimbra. Depois da morte de D. Constança em 1345, D. Pedro assumiu a relação com Inês de Castro, afrontando o rei D. Afonso IV, seu pai, e provocando a reprovação da corte e do povo português. Eles viveram nos Paços de Santa Clara, com três filhos ilegítimos.

Inconformado com o relacionamento do filho, o rei D. Afonso IV decidiu assassinar Inês de Castro em 1355. Desesperado, Pedro liderou uma revolta contra o pai, a quem nunca perdoou pela morte da amada. Finalmente, ao assumir a coroa, ele mandou matar os dois assassinos de Inês de Castro, arrancando o coração de cada um deles. Por isso, ficou conhecido como “O cruel”.

Mais tarde, jurou que havia se casado com Inês de Castro, que foi reconhecida como rainha de Portugal. Em abril de 1360, o corpo da amada foi trasladado para o Mosteiro de Alcobaça, onde foram construídos dois majestosos túmulos, um símbolo do amor eterno. Os dois apaixonados descansam frente a frente, para que possam se reencontrar no Dia da Ressurreição.

 

A cidade de Alcobaça

Alcobaça é uma pequena cidade, com quase 60 mil moradores. A origem de seu nome é atribuída aos rios Alcoa e Baça. A maioria dos turistas visita apenas o Mosteiro, mas a cidade tem seu charme, bons hotéis e restaurantes.

Quem tiver mais tempo na cidade pode conhecer as ruínas do castelo de Alcobaça, visitar o mercado municipal e dar uma volta no Jardim do Amor.

Também não deixe de experimentar os doces conventuais da Alcôa, pastelaria fundada em 1957 e quase uma ‘instituição’ em Alcobaça, o frango na púcara e levar lembrancinhas de chitas e cerâmicas.

Alcobaça é uma cidade pacata, que tem como principal atração o Mosteiro.

A tranquilidade de uma cidade pequena.

Cidade de Alcobaça

Alcobaça é cortada pelos rios Alcôa e Baça, que teriam dado origem ao nome da cidade.

Jardim do Amor em Alcobaça

O Jardim do Amor, um homenagem ao sentimento que uniu D. Pedro e Inês de Castro.

A deliciosa tábua de petiscos do restaurante António Padeiro.

 

Como chegar:

De carro, Lisboa está a cerca de 120km. Também é possível ir de ônibus, pela Rede Expressos. A viagem dura cerca de duas horas e a saída é da Rodoviária Sete Rios (acesso pela estação de metro Jardim Zoológico). Se for de carro, uma boa opção é dar uma esticadinha a Óbidos, uma linda vila nos arredores de Lisboa.

Alcobaça fica a 110 Km de Coimbra (1h15).

 

Onde ficar:

Solar da Cerca do Mosteiro – Fica ao lado do Mosteiro de Alcobaça e na área central da cidade. Um lindo hotel com um charmoso jardim. Tem estacionamento gratuito.

 

Onde comer: 

António Padeiro – O restaurante funciona desde 1938. Você poderá experimentar o frango na púcara, o prato tradicional da cidade, e outras especialidades da casa. Serve uma deliciosa tábua de frios de entrada, difícil de resistir.

End: Dom Mauro Cocheril, 27, Alcobaça. Aberto de segunda a domingo, das 12h às 15h30; das 19h às 22h.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *