16/09/2019

A Rota dos 7 Lagos na Argentina: da Villa La Angostura até San Martín de los Andes

Lago Lácar, Rota dos 7 lagos

Lago Lácar, que banha San Martín de los Andes. Fotos: Amazonas e Mais.

A Rota dos 7 Lagos ou Caminho dos Sete Lagos liga a Villa La Angostura, que fica a 85km de San Carlos de Bariloche, a San Martín de los Andes, ambas na província de Neuquén. É um percurso de cerca de 110km que circunda belos lagos, bosques, montanhas de picos nevados e revela toda a beleza da Patagônia Argentina.

Você pode começar o percurso por Bariloche, um conhecido destino turístico dos brasileiros, ou por San Martín de Los Andes, um simpático vilarejo de montanha. O melhor mesmo é alugar um carro e ir fazendo a rota no seu ritmo. Mas quem não gosta de dirigir tem a opção de contratar um tour com agências de turismo que dura o dia todo (de Bariloche, saída às 8h e retorno às 20h), com paradas ao longo do caminho. Minha sugestão é aproveitar e fazer um roteiro de 7 dias pela região, com pernoites em Bariloche (3 dias), Villa La Angostura (2) e San Martín (2).

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Booking.com

A Rota dos 7 Lagos é o trecho cênico da estrada nacional 40 (RN40), que corta a Argentina de norte a sul. É toda asfaltada e passa por dois parques nacionais: o Nahuel Huapi e o Lanín. Na verdade, são 11 lagos ao longo do percurso, mas os sete oficiais são: Correntoso, Espejo Grande, Escondido, Falkner, Villarino, Machônico e Lácar. Tem ainda os lagos Hermoso, Traful, Espejo Chico e Nahuel Huapi.

O melhor período para fazer esse percurso é entre novembro e março, menos chuvoso. No inverno (junho a agosto), a neve pode atrapalhar. A estrada exige cuidado ao dirigir. Tem muitas curvas e animais na estrada – bois, vacas, ovelhas e cavalos. Não é incomum ter que parar o carro para dar passagem a uma despreocupada vaca.

Dentro dos parques não há restaurantes nem postos de combustíveis. Por isso, não esqueça de levar água e mantimentos, se achar necessário. Não é permitido levar animais de estimação (cachorros, gatos etc) para os parques.

Apesar de ter apenas 110km, a rota feita com calma, parando para conhecer os lagos, leva em torno de quatro horas para ser percorrida.

Villa La Angostura. Foto: Amazonas e Mais.

Villa La Angostura

Situada às margens do mesmo lago de Bariloche, Villa La Angostura é um ótimo destino de inverno, mas mantém também seu charme no verão. Como é um lugar tranquilo, é bastante indicado para uma viagem romântica. Entre os serviços, oferece restaurantes de alta gastronomia, pousadas charmosas e hotéis de luxo, que garantem o clima charmosos e vistas exuberantes.

Além de ser um centro para a prática de esportes de neve, em lugares como o Cerro Bayo, a província é considerada porta de entrada para outras atrações da região, como o Parque Nacional Los Arrayanes, caracterizado pelas árvores de troncos alaranjados.

No Cerro Bayo, no inverno, a infraestrutura é de primeira qualidade, com serviços personalizados, atividades para crianças e escola de esqui e snowboard. São 25 pistas em 280 hectares de superfície esquiável, além de 16 meios de elevação.

 

O lago Nahuel Huapi não faz parte, oficialmente, da Rota dos 7 Lagos. Foto: Amazonas e Mais

Lago Espejo Grande. Foto: Amazonas e Mais

Espejo Chico. Foto: Divulgação

Lago Correntoso, Rota dos 7 Lagos

Lago Correntoso. Foto: Amazonas e Mais.

A Rota dos Sete Lagos

Saindo de Bariloche, você já vai contornando o lago Nahuel Huapi, que em mapuche significa “tigre dos rios”. É um lago grande em extensão e profundidade e impressiona por sua beleza.

Até a Villa La Angostura o percurso é de 87km. Aqui é bom encher o tanque porque não há mais postos de combustível até San Martín.

A partir da Villa la Angostura começa a Rota dos 7 Lagos. No km4, você avista o rio Correntoso, apontado pelos moradores como o menor rio do mundo. No km 11 está uma bifurcação, que leva à esquerda para a fronteira com o Chile pelo Paso Internacional Cardenal Samoré, que cruza a Cordilheira dos Andes e vai até o Parque Nacional Puyehue, e à direita a estrada com destino a San Martín.

Um pouco mais a frente está o o lago Espejo Grande, amplo e que pode ser observado de vários mirantes. Em dias sem vento, suas águas refletem as montanhas e florestas ao redor. No km 22, há uma entrada para o Espejo Chico.

Seguindo pela rota, o próximo lago é o Correntoso. Também tem um cenário de tirar o fôlego, emoldurado por uma cadeia de montanhas. Tem as águas mais quentes da região e, por isso, é muito procurado para banho.

Percorrendo cerca de mais 3km fica o acesso à Villa Traful, pela Ruta 65, e ao lago Traful. Apesar de não fazer parte da Rota dos 7 Lagos, vale a pena visitar tanto o lago e a vila, um pequeno vilarejo cercado de bosques que tem apenas 400 moradores.

Seguindo a Rota, o próximo é o Lago Escondido – é difícil avistá-lo dos mirantes – com suas águas esverdeadas. Um pouco mais adiante, fica o Villarino, repleto de trutas e muito procurado para a pesca esportiva. Muitas pessoas vão fazer piquenique ao redor do lago.

À direita, um pouco mais à frente, está o lago Falkner. Tem uma pequena praia e um camping privado.

Apesar de não ser um lago, a Cascada Vuliñanco também é uma atração da rota. É uma cachoeira de 20 metros de altura que pode ser apreciada de um mirante ao lado da estrada. Cinco quilômetros mais adiante, aparece a placa que sinaliza a entrada no Parque Nacional Lanín.

Em seguida, vem o Lago Hermoso. O acesso é por uma estradinha de terra que passa por estâncias. Suas águas são límpidas e é cercado por montanhas. Merece a visita.

Continuando o percurso, vem o Machônico, avistado de um mirante na beira da estrada. Tem águas azuis escuras e praia frequentada pelos moradores da região. É muito procurado para a prática de esportes aquáticos.

Prosseguindo, vem a entrada para a Villa Quila Quina, um balneário muito frequentado no verão e mais adiante, o mirador del Pil Pil, com vista para o lago Lácar e os cerros Vizcacha, Sabana e Colorado. Um pouco mais a frente, tem a entrada para a playa Catritre, outro belo balneário as margens do lago Lácar.

San Martin é banhada pelas águas do lago Lácar. Logo na entrada da cidade tem um mirador que revela uma das paisagens mais belas da viagem. Não deixe de parar para fazer uma foto e depois encerre a viagem curtindo todo o charme de San Martín de los Andes.

Lago Traful. Foto: Divulgação

Lago Escondido. Foto: Amazonas e Mais.

Lago Villarino. Foto: Amazonas e Mais.

Lago Falkner, Rota dos 7 lagos

Lago Falkner. Foto: Amazonas e Mais.

Cascata Vulliñanco. Foto: Amazonas e Mais.

Lago Hermoso, Rota dos 7 Lagos

Lago Hermoso. Foto: Amazonas e Mais.

Lago Machônico, Rota dos 7 Lagos

Lago Machônico. Foto: Amazonas e Mais.

San Martín de los Andes

Localizada às margens do lago Lácar, San Martin de los Andes é um charmoso vilarejo de montanha da Patagônia Argentina. Você pode chegar na cidade por voo direto de Buenos Aires para o aeroporto de Chapelco, a 35km da cidade. A partir de Bariloche, de carro, são 190km de estrada.

A cidade tem uma boa infraestrutura turística, com bons hotéis e restaurantes. A 5km da cidade tem o centro de esqui Chapelco, onde você pode praticar esqui, snowboard, moto de neve. No verão, as praias Quila Quina e Catritre, ao redor do lago Lácar, são opções de diversão.

 

Vídeo da estrada que sai de San Martín de los Andes circundando o lago Lácar:

 

 

Veja mais fotos do percurso:

Rota dos 7 Lagos

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Booking.com