Ponta Negra: complexo de lazer, esportes e turismo na orla de Manaus

Praia da Ponta Negra em Manaus. Foto: Tereza Cidade

A praia da Ponta Negra é banhada pelas águas escuras do rio Negro. Fotos: Tereza Cidade/Amazonasemais.

Às margens do rio Negro, o Complexo Turístico da Ponta Negra é, hoje, uma das principais atrações de Manaus e um dos locais mais frequentados pelos moradores. Localizado em uma das áreas mais nobres da cidade, onde ficam condomínios de luxo, o local tem praia de areias brancas, amplo calçadão, anfiteatro para shows ao ar livre, quadras esportivas e mirantes.

São mais de 5km de calçada feita com pedra portuguesa, com um traçado sinuoso em preto e branco que lembra o encontro das águas dos rios Negro e Solimões. Esse desenho é o mesmo da praça de São Sebastião, no Centro de Manaus, que foi copiado pelo paisagista Burle Max e aplicado no calçadão de Copacabana, no Rio de Janeiro, onde se tornou mundialmente famoso.

Ao longo do calçadão você vai encontrar várias quadras esportivas para a prática de vôlei, futebol, skate e outros esportes. É aqui também que os moradores vêm andar de bicicleta ou patins, caminhar e correr, principalmente as quartas e domingos, quando uma pista da rua é fechada para a prática de esportes.

Para apreciar a beleza do rio Negro, nada como aproveitar as lanchonetes e bares que oferecem uma variedade de comidas e bebidas. À noite, funciona uma pequena feira de artesanato.

Bem de frente para o rio Negro, que banha toda a orla de Manaus, ficam dispostos vários mirantes, de onde é possível ver deslumbrantes pores do sol. O ponto também oferece uma bela visão da Ponte Phelippe Daou, conhecida como ponte Rio Negro, outra atração da cidade.

Anfiteatro da Ponta Negra, palco de muitos eventos da cidade.

Praia ampla com o hotel Tropical Executive ao fundo.

Praia é muito frequentada pelos moradores nos dias quentes de Manaus.

Praia da Ponta Negra

Nos dias quentes do verão amazônico, com temperaturas que ultrapassam os 40ºC, a praia da Ponta Negra tem sido o refúgio dos amazonenses. Antes, no período da cheia dos rios, a praia desaparecia sob as águas do Negro. Porém, desde 2011, se tornou perene, adotando a mesma técnica usada em praias famosas como a de Copacabana e Flamengo, do Rio de Janeiro, e nas ilhas artificiais de Dubai, nos Emirados Árabes.

A praia é aberta para banho, nos dias úteis, de 9h às 17h, e sábado, domingos e feriados, de 8h às 17h. O horário foi estabelecido depois que ocorreram vários casos de afogamento na praia, que agora conta com salva-vidas no horário de funcionamento.

 

Réveillon

No Complexo Turístico da Ponta Negra é realizado o tradicional Réveillon da Cidade, que sempre tem shows diversos e queima de fogos. No anfiteatro também são realizados outros grandes eventos, como o Festival Folclórico do Amazonas, e shows diversos.

Os mirantes da Ponta Negra, que oferecem um bela panorâmica da praia e do rio Negro.

Prédios de luxo cercam o complexo turístico.

Quadras para a prática de esportes.

A Ponta Negra serve como mirante para a Ponte Phelippe Daou, conhecida como Ponte Rio Negro.

Queima de fogos no Réveillon da Ponta Negra, em 2018. Foto: Mário Oliveira/Semcom

 

História

Ao longo de décadas, a praia e seu entorno passaram por várias intervenções arquitetônicas.

Hoje a Ponta Negra recebe milhares de pessoas, mas nem sempre foi assim. Por muito tempo, o único acesso à praia era por barcos, já que não havia ligação por terra com os outros bairros de Manaus. Foi no primeiro governo de Gilberto Mestrinho, de 1959 a 1963, que foi aberta a via de acesso ao local, uma estrada de barro.

Só depois de muitos anos é que a estrada foi pavimentada, iniciando o processo de urbanização do bairro. A modernização da Ponta Negra começa para valer com a duplicação da estrada, na década de 1970, e a construção de conjuntos residenciais.

A primeira intervenção urbanística na praia da Ponta Negra foi no final da década de 1980 quando foram construídos o calçadão, a área de bares e o anfiteatro. Depois dessa obra, a segunda grande intervenção no local ocorreu apenas em 2011, com um arrojado projeto arquitetônico de revitalização da Ponta Negra, concebido pelos arquitetos Roberto Moita e Cláudio Nina e executado pela Mosaico Engenharia.O projeto, audacioso, trouxe a proposta de tornar a praia perene e modernizar o seu entorno.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *